DATAPREV
Escrito por Equipe Fenadados  23/01/2015
Diretoria da Dataprev transfere para os trabalhadores todo o ônus da sua má gestão

Foi realizada ontem (22), no Rio de Janeiro, no prédio da Álvaro Rodrigues, reunião entre a Dataprev e a Fenadados, com a presença dos representantes da ANED, OLT's e sindicatos que compõem a Coordenação de Campanha. O objetivo era obter esclarecimentos à respeito do comunicado divulgado pela empresa em sua Intranet sobre a sua situação financeira, e sua consequente dificuldade em honrar os seus compromissos com os trabalhadores, à exemplo do adiamento do pagamento da GVR (Gratificação Variável por Resultado) referente ao último trimestre; a suspensão do adiantamento do 13º salário para quem sai de férias em janeiro e fevereiro desde ano, uma prática de muitos anos; e a interrupção da marcação de férias para a partir do mês de março.

 

Na reunião, a empresa argumentou que alguns clientes têm dividas no total de R$ 600 milhões com empresa, o que tem dificultado o cumprimento de seus compromissos neste início de 2015. Porém, a Dataprev afirma ser uma situação pontual e que está trabalhando para sanar esses problemas financeiros que está enfrentando atualmente.

 

A empresa não respondeu o tempo em que está sem receber os pagamentos de algumas faturas de seus clientes. A questão é que quando se há uma boa gestão, a administração da empresa consegue priorizar o que é mais importante para o seu bom funcionamento, para que não haja a necessidade de os trabalhadores passarem por uma situação financeira difícil como essa.  

 

A representação dos trabalhadores questionou a empresa quanto à prorrogação do PDI (Programa de Demissão Individual), pois um programa como este apresenta custos para ser realizado. Neste atual momento, a empresa diz não ter verbas e que somente honrará com o PDI quando tiver dinheiro.

 

Gastos altos

Haverá em fevereiro uma reunião com os gestores da Dataprev em Brasília, e a representação questionou o motivo da manutenção da agenda, uma vez que a sua realização requer custos altos. 

 

Outro ponto que foi questionado pela Coordenação de Campanha foi o fato dos altos reajustes e promoções praticados no final do ano passado para os cargos de confiança; e a criação de coordenações de projetos em alguns estados, que também apresentam custo altos para a empresa que diz apresentar problemas no fluxo de caixa.

 

A conclusão que se chega é que a Dataprev ganhou vários prêmios que são fruto do compromisso dos trabalhadores ao longo dos anos, mas no entanto, lhe falta uma gestão que desse conta de administrar bem os seus recursos, o que faz com que o ônus recaia sobre os funcionários, pois são eles que estão sendo penalizados por esta situação.

 

Agora, diante deste triste quadro, a representação dos trabalhadores e das trabalhadoras vai lutar para fazer valer os seus direitos. Não vamos ficar calados e nem parados diante de mais esta ação contra quem é responsável pelo sucesso da empresa.

 

Ex senador Lindberg Farias em defesa do Serpro e da Dataprev e contra as Privatizações

Fenadados no Facebook


Entre em contato