Notícias
Escrito por FENADADOS  23/04/2018
Serpro - Sem compromisso com os trabalhadores e o processo negocial

O Serpro divulgou, às vésperas da próxima reunião de negociação um comunicado sobre o estudo que está elaborando na perspectiva da redução da jornada de trabalho de 8 (oito) para 6 (seis) horas, com redução salarial, argumentando que precisa reduzir o custo da folha.

A direção do Serpro, diz tratar-se apenas de estudos... O que nos preocupa é que a empresa já solicitou estudos (o que acarreta em ônus financeiro e de recursos humanos) sem previamente tratar da temática com as representações sindicais e seus trabalhadores.

Necessário dizer que o contrato individual dos trabalhadores estipula jornada diária de 8 horas e, que alteração dessa natureza necessita de o de acordo entre as partes.

Não se enganem esta é mais uma atuação da empresa em buscar implementar a precarização nas relações de trabalho: Redução de jornada com redução de salário, retirada de benefícios. É a continuidade das maldades contida na famigerada Reforma Trabalhista.

A divulgação de uma nota com este teor às vésperas da próxima mesa de negociação tem endereço certo: tentar desestabilizar os trabalhadores.

A empresa durante todo o processo negocial não avança com proposta efetivas, não apresenta índice de reajuste tenta impor a jornada de trabalho 12 (doze) horas trabalhadas por 36 (trinta e seis) de descanso (o que é altamente prejudicial à qualidade de vida do trabalhador), apresenta intenção clara de retirada de direitos.

Nós da Fenadados chamamos os trabalhadores e as trabalhadoras da empresa, à Luta!!! Neste próximo dia 25 de abril de 2018, devemos realizar assembleias em todas as Unidades da Federação, como forma de demonstrar à empresa que não iremos aceitar Nenhum direito a menos!!!

 

Presidente da Fenadados, Carlos Alberto Valadares (Gandola) alertou os deputados, na Assembléia Legislativa do Pará, que a venda do Serpro e da Dataprev colocará em risco a paralisação do governo, caso empresa privada descumpra contrato. Também lembrou que o comprador terá exclusividade na prestação do serviço ao governo, acabando com a isonomia no mercado, que hoje através de licitações se habilita a prestar os serviços de informática.

Fenadados no Facebook


Entre em contato